A ARTE DE SER LUZ

Alguns irão apagar-se nas sombras, outros brilharão diante dela, está é a arte de ser luz, é conhecer o homem e logo, conhecer a Deus.

O homem é em si energia, tal como um receptáculo para a mesma. Os pensamentos são energia, e o verbo nada mais é do que a propagação das mesmas para que se tornem carne.

Pensa, cria, colhe. A luz não conhece a dor dos homens, nem este estranho amor carnal, porém compreende.

A consciência da luz é o primeiro passo para o Ser, nela a dualidade sempre estará presente, pois não a luz sem sombra ou vice versa. A escuridão é a ausência de luz, o desequilíbrio. O oposto é o próprio desprendimento diante deste ciclo.

Ser a arte, não é Ser a luz, como o conhecimento e a sabedoria, que embora caminhem juntos, jamais serão sinônimos. A arte está no mais sutil, no balanço das folhas, por exemplo, o qual geralmente vaga despercebido nos olhares. A luz adentra o próprio ser, conhece-te e sábio serás.

O homem que atravessa seus recônditos conhece o passado, sabe a razão do presente, e vê o futuro.

Ser é conhecer o microcosmo, compreender e estudar o macrocosmo, transmutar chumbo em ouro através do pensar. É dilatar as pupilas, diante de todas as lentes. A partir disto, devemos traçar degrau por degrau, o salto muitas vezes pode significar apagar-se.

 A luz se faz através do viver, compreendendo nosso próprio universo, e de forma sábia, colocando o aprendizado em pratica, logo, nossa existência é a arte de ser luz.

Escrito por: Pedro Damo de Lemos

1 comentários:

Pedro Damo de Lemos disse...

E ai, quando vamos fazer um encontro de covens ? Mensagem enviada por Pedro Damo de lemos. pedrodamodelemos@gmail.com

Postar um comentário